Cabeças que servem para o quê? #degolados #altamira

Cresci ouvindo que o Brasil não tinha terremoto, furacão, nem guerra, que aqui ninguém passava fome. Um paraíso tropical colonizado por gente de bem com a vida, que gosta de praia, carnaval e joga futebol com alegria. O Brasil de 2019 está protagonizando um contexto de violência com cenas dignas do Estado Islâmico, de medievalismo brutal.

Dúzias de cabeças decepadas, guerrilhas urbanas com armamento pesado, máfias organizadas através de partidos políticos e infiltradas em governos, parlamentos, empresas da infra-estrutura de energia, de comunicação e da construção civil. Militares e policiais envolvidos com tráfico de drogas e armas que abastecem mercados mundiais. Batalhas em que a letalidade para um policial militar brasileiro é mais alta que a letalidade para um soldado norte americano no Oriente Médio.

Isto não foi construído em pouco mais de duzentos dias de governo. Trata-se de um processo de estupidificação que decorre de anos de práticas políticas predatórias, de atividades parlamentares míopes, de dilapidação da peça mais importante para que um país se mantenha a frente do desenvolvimento econômico: a educação.

As elites brasileiras têm uma alta parcela de responsabilidade sobre o contexto a beira do inadministrável em que chegamos. Não existe um projeto de nação que se sustente sem o apoio das elites, e no Brasil estas elites se tornaram idiotas, de rasa filosofia, pouca capacidade de planejamento e fraca intelectualidade. A falência da inteligência brasileira encontrou em alguns ideólogos seu ápice de bufonismo e falta de fundamentação. Tanto na direita, quanto na esquerda. Estamos reféns desse espetáculo ridículo que não nos leva a lugar algum. As cabeças rolando são o símbolo máximo de nossa acefalia, da extirpação da parte pensante de nossos corpos e sociedade. Da incapacidade de ser mais eficiente do que o crime organizado, ou ainda pior, de conviver com ele.

river

Sobre Luciano Medina Martins

Journalist, blogger, activist against the abuses of states that violate citizens' rights. I don't write about one only topic, I like to interact with many different issues. No fake news here.
Esta entrada foi publicada em Artigo, Behaviour, guerra com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.