Ironia do destino porto-alegrense

FB_IMG_1563930687046

Esta foto fiz numa noite fria, em que passeava quase sozinho onde hoje não posso mais ir, muito menos fotografar. A foto é a triste testemunha de uma cidade mutilada ao longo de décadas por gestores com ideias confusas, que não estudaram ou conheciam as raízes culturais, econômicas e sociais deste Porto, cada dia menos Alegre e menos portuário.

Tiraram os bondes, ergueram o muro, fecharam o porto, anularam bairros inteiros, não atrairam novos segmentos econômicos. Amontoaram obras abandonadas , inacabadas, mal acabadas, descabidas. Esqueletos, escadas rolantes que levam ninguém a lugar algum, saídas fechadas, acessos inacessíveis. Ninguém mais se surpreende, para sair do centro da cidade de milhões de pessoas, tem que ser um veículo por vez.

Proibiram cavalos de puxarem carroças para substitui-los por pessoas. Acirraram a guerra do lixo acumulado por estes escravos pós modernos que roubam para receptadores ricos os resíduos que a prefeitura é paga para recolher, mas não sabe fazê-lo. Só sabe cobrar, cada vez mais. Obrigando vários a vender seus imóveis por não poderem arcar com o imposto sobre a propriedade. Evacuação imposta.

Sem projeto para ocupar esta gigantesca estrutura de armazéns, silos e prédios portuários que começam na antiga fábrica do Renner e vão até às portas da Zona Sul. Estas mesmas autoridades querem permitir que se derrube a mata de áreas ainda “não ocupadas” lá no extremo sul. Para erguer mais prédios que terão o mesmo destino, o abandono.

A cidade vai sendo lixificada a cada dia. Muros que separam ruas esburacadas e alagadas de terrenos baldios, ginásios em ruínas e até um lindo estádio transformado em cracolândia.

Nada supera a estupidez desses sujeitinhos? Vamos embora, deixar que matem a cidade sufocada pela incompetência e falta de qualidade intelectual? Que ironia, justo esta que foi a mais vanguardista das capitais. A de arquitetura moderníssima e grandes avenidas, de muitos chafarizes e cafés agitados por ideias novas. Ironia do destino.

Anúncios

Sobre Luciano Medina Martins

Journalist, blogger, activist against the abuses of states that violate citizens' rights. I don't write about one only topic, I like to interact with many different issues. No fake news here.
Esta entrada foi publicada em Artigo, cidade, direitos do contribuinte, direitos humanos, guerra, política, prefeitura com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.